Educação financeira infantil

Educação financeira infantil

Educação financeira infantil não significa ensinar seu filho a economizar, mas sim aprender corretamente a lidar com o dinheiro em busca de uma vida melhor, organizada e responsável.

Nos países desenvolvidos a educação financeira das crianças cabe às famílias. Às escolas cabe a função de reforçar o que foi ensinado em casa. No Brasil ainda há muito que aprender, a educação financeira não está presente nas escolas e nem em casa, no ambiente familiar, pois os pais na maioria das vezes não sabem nem pra eles.

Aqui no site vou procurar ensinar os pais como deve ser os ensinamentos desde pequeno para os filhos, para que eles cresçam com uma mentalidade próspera e organizada. Mas entenda que para ensinar você precisa saber, então aproveite e aprenda também. Aqui no Blog tem vários posts para ensinar os pais sobre educação financeira.

“Pais inteligentes, criam filhos ricos”

Então vamos lá…

Comece a falar com os seus filhos sobre dinheiro o mais cedo possível

A partir dos 03 anos você pode começar a falar sobre com elas segundo especialistas no assunto. Nesta idade eles já sabem contar e compreendem que precisam de dinheiro para comprar as coisas que querem como um brinquedinho, os doces, etc., além de já conseguirem identificar notas e moedas. Essa fase é ideal para que os pais comecem a estimular a curiosidade dos filhos sobre o dinheiro, fazendo perguntas, joguinhos e brincadeiras.

Use bastante o Lúdico

A literatura infantil direcionada para área financeira, jogos especializados e filmes são excelentes instrumentos para provocar conversas sobre temas da área financeira. Mas é claro que só essas ferramentas sozinhas não têm a mesma capacidade de ensino e atração do que a presença e participação dos pais. Jogue, leia para eles e assista filmes juntos. Isso vai melhorar e muito o aprendizado.

Ensine como o dinheiro chega até nós pelo trabalho

Um ponto muito importante para ensinar às crianças é que na vida não ganhamos dinheiro, mas sim o recebemos em troca de trabalhos prestados ou vindo de sua empresa própria vendendo produtos ou serviços.

Respeite a realidade infantil

Evite o uso de termos técnicos e palavras desconhecidas que gerem desentendimento às crianças. Nem papos chatos sobre o futuro distante. As conversas com crianças devem ser em linguagem simples, sobre o cotidiano e no interesse delas. Crianças não pensam em aposentadoria. Não pensam em faculdade. Não se imaginam como chefes de família. Você precisa estimular o interesse para elas aprenderem mais, assim será mais fácil o aprendizado nas próximas fases, na adolescência e juventude.

Fazer escolhas (Tomar a decisão certa)

Aos 06 anos as crianças já estão preparadas para fazer escolhas. A partir dessa idade é interessante sair pelas lojas e supermercados comparando os preços com seus filhos, antes de decidir o que comprar, mostrando que existem produtos iguais com marcas diferentes e preços menores.

É importante mostrar que os recursos financeiros da família tem limites, muitas vezes temos que escolher entre uma ou outra coisa. Mostrar isso para os filhos é um excelente exercício para a vida adulta, na qual ele de fato terá que avaliar o tempo todo sobre o que vai gastar hoje e o que vai deixar para o outro mês.

Necessidade ou desejo?

A diferença entre o que se quer e o que se precisa é outro fator que deve ser ensinado o mais breve possível na educação financeira dos filhos, como, por exemplo, a diferença de se gastar com supermercado e com uma viagem de turismo. Para isso, fale com as crianças sobre como a sua família decide o que comprar (as coisas necessárias primeiro é lógico) e o que deixa para depois. Faça perguntas para eles tipo assim: O que é mais importante comprar: bolachas recheadas ou frutas? Leite ou Refrigerante? Faça uma lista com coisas que são primordiais, como o aluguel/prestação do imóvel, prestação do carro, contas de luz, água, de internet etc., versus itens opcionais. Dessa forma você estará exemplificando na prática o que é desejo e o que é necessidade.

Aprendendo a fazer orçamento pessoal ou doméstico

Aos 12 anos, a criança já pode receber noções de como fazer um orçamento pessoal ou doméstico, principalmente aquelas que já recebem uma mesada. Aliás, muitos especialistas divergem deste assunto. Alguns afirmam que dar mesada é correto, pois ajuda as crianças a entenderem de orçamento. Outros afirmam que o melhor é remunerá-las de acordo com a realização de serviços e tarefas prestadas. Eu particularmente acho que deve dar uma pequena mesada e remunerar também por serviços adicionais para ir se acostumando com a ideia de meritocracia.

Para ensinar sobre orçamento, você pode pedir ajuda das crianças para fazer a lista de compras e gerenciar o orçamento do supermercado. Crie para elas uma versão reduzida de um orçamento, para o uso com as coisas dela.

Aprender a poupar

Logo após começar a desenvolver as noções de orçamento, as crianças devem ser incentivadas a poupar para atingir seus objetivos. De um presente para seu filho o famoso “porquinho” um cofrinho para guardar as moedinhas. Assim ele vai pegando gosto de poupar e guardar dinheiro.

Poupar é acumular valores no presente para utilizá-los no futuro, em algum projeto ou sonho.

Sou João Bosco Ferrari, trabalho com internet desde o ano de 2.000 sou estudioso em finanças pessoais por vocação. Já trabalhei em várias instituições financeiras em diversas cidades e tive várias empresas. A proposta do Blog Dinheiro é promover a educação financeira para as pessoas conseguirem ter uma vida tranquila.

Deixe uma resposta

EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA MULHERES - CLIQUE AQUI !!!
Recomendado:
Educação Financeira Educação financeira é a habilidade de lidar com…
Cresta Posts Box by CP
error: Copiar